WEBSTORE in progress // 2700+ titles in stock. From their minds to ours. "From our minds to yours."



Mechanical Fantasy Box

Patrick Cowley

Dark Entries

Regular price €27,50

Tax included.

LISTEN:
CLIP1 - CLIP2 - CLIP3 - CLIP4 - CLIP5


Quando em 2013 a Dark Entries editou “School Daze” estava-se longe de imaginar o arquivo imenso que existia por explorar de Patrick Cowley. Seguiu-se “Muscle Up” (2015), “Afternooners” (2017) e agora “Mechanical Fantasy Box”. A descoberta destes arquivos – e há muito mais para vir – é de uma importância fulcral para a música de dança e simbólica para a música popular: simbólica apenas porque a música popular não se vai dar conta que isto existiu. Em parte, o trabalho da Dark Entries em volta de Cowley está próximo da descoberta de Arthur Russell há quase duas décadas. Podem-se criar diversas ligações entre Cowley e Russell, mas vale a pena centrar no mais elementar: são músicos da mesma época que criaram desafios à forma como entendemos os géneros naquele tempo. Ainda hoje a música que criaram e que deixaram é um mistério. Se Russell operava em Nova Iorque, Cowley estava na Costa Oeste, em São Francisco, afundado nas inúmeras fantasias que os seus sons potenciam. “Mechanical Fantasy Box” contém treze temas inéditos, 75 minutos de música que dignificam o mito de um músico que não sabia estar: isto não é cósmico, isto não é disco, isto não é ambiente e, sobretudo, não é experimental. O título escolhido pela Dark Entries assenta que nem uma luva, há qualquer coisa de Conrad Schnitzler nestes temas – o lado mecânico – mas também há a fantasia cósmica de uns Cluster e Popol Vuh. Referências que são pontes para o krautrock, mas este cosmos de Cowley está para lá disso. Se se pensar que é música que ficou em arquivo, os temas de “Mechanical Fantasy Box” são criações aventureiras sem propósito, meras experiências que não encontraram um lugar para existir. As ‘keywords” aqui estão em “aventureiras sem propósito”, porque isso deu uma liberdade abismal a Cowley para estender as suas ideias sem qualquer limite. Sem qualquer género. É por isso que se ouve funk em composições ambientais, ou viagens cósmicas em ferramentas que poderiam caber em qualquer arquivo de library. Os arquivos de Cowley não são suplementos. São música de um plano maior que vive agora no presente. Somos abençoados por viver agora e descobrir isto. Uma das melhores compilações de 2019.