FLUR 2001 > 2021



-IO

Circuit Des Yeux

Matador

Regular price €25,50

Tax included.

LISTEN:
CLIP1 - CLIP2 - CLIP3 - CLIP4 - CLIP5


Pela segunda vez, Haley Fohr tem este efeito em nós. Curiosamente, acontece com os últimos dois álbuns, o maravilhoso “Reaching For Indigo”, de 2017, e agora “-io”. Sem qualquer mentira pelo meio, foram obras que não nos convenceram inicialmente. “Reaching For Indigo” levou muitas audições até se ultrapassar a estranheza de algo tão pessoal e que, em simultâneo, lutava contra os tempos das playlists e do consumo da música por excertos: tinha de ser ouvido do início até ao fim para absorver a sua intensidade. Fohr até fazia questão de tocar “Reaching For Indigo” assim ao vivo, de uma ponta à outra, para nenhum detalhe da história se perder. Com “-io” e a mudança de editora – da Drag City para a Matador -, Fohr, enquanto Circuit Des Yeux, quer mudar de liga. Custou a aceitar nesta mudança o excesso nas canções, de orquestração, de uma vontade de preencher, fazer crescer, soltar uma emocional pela intensidade de tudo em redor. Noutros tempos, era a voz – única – de Fohr que carregava isso sozinha e dominava todo o espaço sonoro, agora não. A reacção inicial passou por pensar de que ela estaria a escondê-la, quase num gesto de timidez/insegurança num momento em que a sua música chegará a uma nova audiência. Com o tempo foi entrando como um elemento que desabrocha e ganha presença ao longo de sucessivas audições. Tal como “Reaching For Indigo”, “-io” conta uma história de uma ponta à outra e funciona como um rito de passagem para este salto na carreira da cantora/compositora. A que ouvimos em “Vanishing” é diferente de em “The Chase” e uma entidade completamente nova em “Stranger”. Se em “Reaching For Indigo”, Haley Fohr nascia uma segunda vez, em “-io” cresce pelos nossos ouvidos.