ENVIO GRÁTIS PARA TODO O TERRITÓRIO NACIONAL EM COMPRAS DE VALOR SUPERIOR A 20 EUROS



How Can We Be Joyful In A World Full Of Knowledge?

Bruno Pernadas

Pataca Discos

Regular price €11,95

Tax included.

LISTEN:
CLIP1 - CLIP2 - CLIP3 - CLIP4 - CLIP5


Há sempre este momento meio incómodo em que pegamos num nome e gostamos de dizer que é uma surpresa e que apareceu do nada. Porque, na verdade, quase nunca é assim. Sobretudo para os músicos. Sobre Bruno Pernadas há a desculpa de não ter nada feito em nome próprio que leve as pessoas a localizá-lo na cena musical portuguesa. Mas nem o Bruno é um jovem, nem o seu passado começou agora. Com efeito, o seu percurso é mais do que amplo e, bem vistas as coisas, bem poderia prometer este disco que acabou de editar. Multi-instrumentista, mas guitarrista de “profissão”, Bruno Pernadas é metade dos Julie & The Carjackers e desdobra-se em outros projectos e colaborações menos regulares. Vem do jazz, alimenta a improvisação, e uma passagem pela composição clássica deverá ter-lhe dado ferramentas para maiores voos. O seu amor pela pop, por Van Dyke Parks ou pela Exotica fez nascer este “How Can We Be Joyful…”, planta tropical frondosa que germinou da gaveta de gravações que foi acumulando nos últimos anos. Da nossa perspectiva, nunca ouvimos assim um disco por cá: é meticuloso, ambicioso, arrumado, e todas as influências que tem são manifestadas numa espécie de citação positiva. É um disco maioritariamente instrumental, o que espelha claramente o gosto de Pernadas pela composição e pela dinâmica colectiva dos muitos músicos que serviram este sonho individual, feito de tórrida tropicália, Bollywood em modo psicadélico benigno e vertigem retro. Ouçam os quase 9 minutos de “Ahhhhh” para perceberem o quanto cabe dentro de um tema – possivelmente, um dos grandes temas deste ano. Este álbum segue-se ao dos You Can’t Win, Charlie Brown, mostrando que a Pataca está determinada em dar todas as condições aos seus projectos. Talvez só assim ideias como as de Bruno Pernadas possam existir e fazer-nos sentar de espanto. Uma das mais gratas surpresas domésticas do ano.