FLUR 2001 > 2021



Floresta Oblíqua

Floresta Oblíqua

Fungo

Preço normal €10,00

Taxas incluídas.

OUVIR / LISTEN:
Excertos / Excerpts


Novo registo da música de Mário Alexandre, que depois de "The Day The Universe Began Again” (álbum cuja existência não se consegue provar online), edita na perpetuamente interessada (e interessante) Fungo um novo álbum homónimo. Adivinham-se algumas influências quase directas, como a síntese fria mas melancólica de Vox Populi!, já que a primeira “A” e a segunda “B” principiam com sequências minimais em sintetizador, onde as emoções evocadas nos remetem para um lugar solitário mas amplo e expansivo, espelhando a forma como a música se vai abrindo ao longo do desenrolar dos temas, com abrir e fechar de filtros e com a introdução progressiva de elementos mais ruidosos, sem comprometer a paleta de som. A narrativa aqui é a do encontro do (ou com o) próprio, já que há uma introspecção regrada que se nos passa com a música. O tema “C” arranca um drone puro, electrónico, e delicadas notas em guitarra que vão surgindo levemente, lembrando os esforços colaborativos entre Fripp & Eno, com um twist distópico que se ergue com sons quase informáticos (os bleeps, principalmente). Uma história de encontros numa era de distanciamentos, um porto seguro, distante dos perigos da civilização moderna. Na apologia do less is more, “Floresta Oblíqua” singra.